Pegando a estrada

Quando eu decidi voltar pra Itália depois de 6 anos, a única certeza que eu tinha era que eu queria conhecer muitas cidades. Após sete meses de planejamento, finalmente chegou o dia de pegar a estrada. Ah, como eu gosto de viajar de carro..

Tá tonta?

Nas outras vezes que eu estive na Itália, só viajei de trem. Isso significa que, apesar de ter feito centenas de rotas 3D pelo Google Maps, não tinha caído a ficha de que nós faríamos uns 400km de serra. E sim, eu fiquei tonta diversas vezes. Nessas horas eu me perguntava: Por que eu não fiz minha habilitação internacional? Talvez dirigindo eu passasse menos mal.

Ou talvez eu estivesse sofrendo da síndrome de Stendhal, com tanta paisagem bonita a cada curva. Só vou saber quando EU for a motorista da vez na próxima trip.

Castello di Verrazzano

A primeira parada em Chianti foi aqui. O castelo existe desde os etruscos, depois os romanos também estiveram aqui, e no século VII se torna propriedade da família Verrazzano. Há relatos que essas terras já produziam vinho em 1150. A família se extinguiu em 1819.

Nós chegamos de supetão, sem marcar nada e encontramos um grupo iniciando um tour. O tal Giovanni da Verrazzano foi um navegador famoso que descobriu a baía de Nova Yorque. Ele inclusive passou pelo Brasil para comprar uma carga de Pau-Brasil, mas a moça do tour contou que ele foi devorado por canibais nos EUA e fechou o papo com uma constatação maravilhosa: - Verrazzano bebia o vinho, comia o azeite e o mel dessas terras, os canibais devem te-lo achado "delicioso". Nunca tinha pensado nisso, mas há coerência nessa frase.

Comment Stream