Teatro Rápido:
15 minutos de peça por dia

                                                                                            - por Ana Rita Teixeira

Ao som de uma música que faz lembrar os cabarets, luzes semicerradas e pessoas sorridentes, vivem-se os momentos que antecedem a rotina diária dos espectáculos diários de quinze minutos, distribuídas por quatro salas. É assim todos os dias – pelo menos nos que lá estive – que se faz teatro no número catorze da rua Serpa Pinto, mesmo ali ao lado do Pessoa.

Teatro Rápido onde a pressa não é inimiga da perfeição. É este o conceito importado de Madrid que Alexandre Gonçalves quis dar à capital, aos lisboetas e a quem a visita. Tudo se resume a um tema mensal – escolhido pelos visitantes através de uma votação online – e a quatro peças com a duração máxima de quinze minutos. Dito assim parece fácil, mas não é.

O TR, como muitos lhe chamam, movimenta dezenas de pessoas diariamente; promove workshops, tertúlias, peças infantis, stand up comedy, e tem, ainda, um bar. Este último com uma decoração tão eclética que transporta quem por lá passa para um confortável cenário de familiaridade. O TRbar é, também ele, um espaço onde se respira e vive cultura; onde a qualidade dos alimentos confeccionados se alia a uma decoração com peças cheias de história. O consumo é acessível a todas as carteiras como se pode ler na página oficial do espaço.

TR Bar (foto retirada do blog do Teatro)

A campainha toca. «Sala 1, sessão das 18 horas!» – ouve-se uma voz feminina a fazer o anúncio. É hora da primeira peça do dia começar. A chamada para entrar é feita de uma forma simples, ordeira e intimista. Todos preparam os bilhetes.

As portas das salas têm grandes e imponentes cortinados pretos que fazem aumentar a curiosidade. Nunca se sabe o que pode acontecer. Sabe-se, apenas, que os espectadores serão levados para um ambiente desconhecido que os absorve durante os curtos - mas proveitosos - minutos da peça.

Jardins, trincheiras, piscinas, touros mecânicos…Todos estes  cenários já ganharam vida dentro das quatro paredes de cada sala. Estes e muitos outros. E, em todos eles, os espectadores estão, literalmente, dentro de cada peça.

Peças que já estiveram em exibição

Para as vozes discordantes que não acreditam neste conceito, Alexandre Gonçalves aconselha que visitem o espaço e que vejam com os próprios olhos. E admite que a capacidade de contar uma história em quinze minutos só engrandece o TR. É, aliás, esta capacidade de síntese que lhe confere o cunho de qualidade.                                                      

Alexandre Gonçalves (foto retirada do facebook do Teatro Rápido)

«Uma história condensada, em que a acção atinge o seu auge muito mais rapidamente do que num espectáculo dito convencional», explica Alexandre Gonçalves. Para se conseguir bons resultados, tem que haver predisposição, esforço e talento de todos os envolvidos no projecto.

Nem só as peças são micro: os preços praticados também. Por três euros consegue-se assistir a uma sessão e há, ainda, espaço para descontos. Ser acessível a qualquer pessoa é um dos lemas do TR. Democratizar o teatro é o seu objectivo. «Queremos tornar o teatro acessível a todos porque o factor preço não pode ser desculpa, nem sequer o factor tempo. São espectáculos de quinze minutos, a partir do final da tarde em que as pessoas vêm – segundo o tempo e dinheiro que têm para gastar», afirma o director.

Peça que esteve em exibição

O microteatro tem, agora morada fixa em Lisboa. Ali, no burburinho habitual do Chiado. Quem lá vai é convidado a entrar num mundo diferente daquele que  é vivido na confusão das ruas. Um mundo absorvente, interessante e intimista. Onde cada um o vive à sua maneira.

Com peças a baixo custo e com várias actividades gratuitas, o Teatro Rápido assume a sua posição como espaço cultural da cidade. Crianças, jovens, adultos, turistas e lisboetas...Todos percorrem o corredor de acesso às salas e mostram a quem o faz que vale a pena. O esforço é, assim, recompensado com cada aplauso de pé.


Informações úteis:

  • Sessões de Domingo a 5ªfeira
  • Horário: 18:30h às 20:30h
  • Preço: 3 euros
  • Como chegar: