Organizações Não Governamentais de Apoio Humanitário

  • As organizações não governamentais são organizações da sociedade civil, não governamentais e, por isso independentes do Estado e dos partidos políticos- partidários. São organizações sem fins lucrativos.

Assistência Médica Internacional

  • A AMI é uma Organização Não Governamental (ONG) portuguesa, privada, independente, apolitica (não está ligada a nenhum partido politico) e sem fins lucrativos.
  • Desde a sua fundação em 1984 que a AMI está onde ninguém quer estar. A intolerância e a indiferença, as doenças mais graves do mundo, estão para a AMI na origem do facto de três quartos da população mundial viver de forma indigna.

Objectivos da AMI

  • Destinada a intervir rapidamente em situações de crise e emergência;
  • Lutar contra a pobreza, a exclusão social, o subdesenvolvimento, a fome e as sequelas da guerra, em qualquer parte do Mundo.

Fundador da AMI

  • Fernando José de La Vieter Ribeiro Nobre;
  • Nasceu em Luanda, Angola a 16 de Dezembro de 1951;
  • Médico, professor universitário e presidente da AMI.

AMI no mundo

A AMI está presente em 65 países dos quais 21 mencionados em missão atual:

Angola: Desde 2010 que a AMI presta em Angola apoio a várias ONG locais.

Bangladesh: A AMI inicia em 2009 um novo projecto, no Bangladesh, precisamente na região de Jessore, uma das mais afectadas pelo recente ciclone AILA.

Brasil: Apoio a ONG local, com financiamento da Aventura Solidária.

Cabo Verde: No final de 2010 a AMI e as suas equipas deixaram a Ilha do Fogo, após 22 anos de presença em Cabo Verde. A AMI termina, assim, a sua missão de desenvolvimento com equipas expatriadas em Cabo Verde, mantendo, no entanto, o apoio a projectos de organizações locais.

Chade: Apoio sanitário e alimentar aos refugiados da região de Darfur, Sudão
Costa de Marfim
Colombia: De 1998 a 2006 a AMI prestou apoio a vários projetos na Colômbia
Equador: Em 1992 a AMI interveio no país para procurar fazer face à cegueira.
Gana: Projeto Internacional em Parceria com Organização Local - PIPOL

Guiné-Bissau: Foi na Guiné-Bissau que a AMI instalou a primeira missão da sua história, em 1987.

Haiti: Após a intervenção na emergência pós-sismo em 2010, a AMI, actualmente, apoia 3 ONG locais que trabalham na área da saúde e prevenção de catástrofes, em prol de um desenvolvimento sustentável do país.

Malásia: Em 2009, a AMI apoiou 2 projectos na Malásia, um nas regiões de Sentul e Penang e outro em Melaka, direccionados para a formação de professores e para o auxílio a doentes infectados com o HIV/SIDA.

Moçambique: Apoio à Equipa dÁfrica - Associação Juvenil para o Desenvolvimento.

Nicarágua: Em 1999 a AMI enviou ajuda humanitária para apoio às vítimas do Furacão Mitch.

Ruanda
São Tomé e Príncipe: A AMI está a atuar em São Tomé e Príncipe desde 1988
Senegal: A AMI está presente no Senegal desde 1996.
Sri Lanka: Após um conflito de mais de duas décadas, o Sri Lanka começa agora a mostrar alguns sinais de recuperação económica.
Sudão: Em 2004 a AMI prestou apoio sanitário e alimentar aos refugiados da região de Darfur, Sudão.
Uruguai: Expansão da área de trabalho de jovens portadores de deficiências na ONG Buscando Espacio

Zimbabué: Apoio à ONG Gokwe Diocese.

A Equipa

  • A AMI tem um grupo permanente de profissionais assalariados, que se encarregam de assegurar o desenvolvimento do trabalho da instituição.
  • Conta também com o apoio indispensável dos voluntários.

1ª Missão

  • Guiné-Bissau: Foi na Guiné-Bissau, que a AMI instalou a sua primeira missão histórica, em 1987

LEMA

"Por uma acção humanitária global"

Comment Stream